O que é Teologia

A palavra “teologia” não aparece na Bíblia. O termo mais próximo é “theólogos”,  que significa alguém que fala de Deus ou coisas divinas (cf. Ap). “Teologia” é um termo grego composto por duas palavras que lhe definem a natureza: Theós e logia. Embora a palavra grega logia signifique “estudo”, aplicada ao substantivo Theós, “Deus”, a ideia se aproxima mais do termo grego “lalia”, “fala, discurso”. Assim, “teologia” seria uma espécie de “teolalia”, uma fala ou um discurso sobre Deus.

 Teologia é um termo pré-cristão. Ele aparece pela primeira vez em Platão (Rep.379a), depois em Aristóteles e Homero para designar a mais alta das três ciências teóricas, após a matemática e a física. No estoicismo, ela torna-se uma disciplina filosófica e no pensamento cristão, com Clemente e Orígenes, o termo apropriado do léxico grego toma novos contornos.

Um breve percurso histórico do termo mostra que teologia no grego antigo é hino de louvor aos deuses. Ela está ligada em suas raízes à oração e ao anúncio. Em Platão, ela é estudo crítico-racional dos deuses da mitologia, com o objetivo de criar bons cidadãos. Assim, a teologia é fundamentalmente crítica (possui uma postura interrogativa), pedagógica (busca a formação integral do ser humano, paidéia) e política (prepara o cidadão da polis). Já em Aristóteles, teologia é o estudo do Ser mais excelente ou supremo. É o cume da filosofia. Dando um grande salto histórico, na era cristã, teologia, na perspectiva da Escola de Alexandria, é o estudo de Deus para dentro (Trindade) e estudo de Deus para fora (história da salvação). Só com o escolástico Abelardo, no séc.XIII, que teologia passa a ser estudo científico.

A teologia carrega as marcas de suas fontes. Da fonte cristã veio-lhe o conteúdo: o Deus da fé, e da fonte grega, veio-lhe a forma: o estudo racional de Deus. Desse breve percurso histórico, podem-se retirar lições sobre a compreensão do termo. Teologia está relacionada com: 1. Oração e proclamação, 2. Postura crítica e formativa, 3. A Filosofia pergunta e a Teologia responde (Paul Tillich) e 4. Ortodoxia (movimento para dentro) e ortopraxia (movimento para fora).

Teologia tem a ver com palavra, com saber, com ciência. Coloca-se Deus em discurso humano. Etimologicamente, significa um “discurso, um saber, uma palavra, uma ciência de ou sobre Deus”. Ou como sugere Clodovis Boff: “a partir de Deus”. Aqui surgem algumas questões: Como pode o humano, limitado que é, falar sobre o Divino, o eterno? Como pode um ser imanente verbalizar sobre um ser transcendente? Não seria o silêncio diante do mistério (Teologia apofática) melhor do que verbalizar o mistério (Teologia catafática)? No processo teológico o ser humano só pode chegar ao conhecimento de Deus na medida em que este se faz conhecido a ele através da revelação. “Só Deus pode falar sobre Deus”, afirma Karl Barth (1886-1968)

Carlos Cunha

Deixe um comentário

Arquivado em Reflexão teológica

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s