Teologia Liberal: quebrando paradigmas

O liberalismo teológico é uma categoria muito mal compreendida e um rótulo em geral mal usado. Tanto em segmentos católicos quanto protestantes e evangélicos, o termo liberal, aplicado à teologia, transmite a ideia de ruptura com a tradição; com a hierarquia; com a doutrina cristã elaborada no decorrer dos anos. Para muitos, teólogo liberal é um sujeito desprovido de espiritualidade evangélica. É uma pessoa fria e descrente. Já no âmbito popular, as associações são ainda piores. Liberal é sinônimo de libertinagem. Uma pessoa que não tem limites e para quem tudo é permitido. Se, nesse meio, a imagem do teólogo por si só não é bem vista, imagine agregar a ela o adjetivo liberal? Um caos!

Basta um pouco de fidelidade histórica para reconhecer que a proposta da Teologia Liberal consistia em reinterpretar, à luz de um novo contexto cultural, a tradição cristã e mostrar ao ser humano moderno que a teologia cristã é uma ciência relevante. Para os liberais, a teologia precisava se modernizar ou deixaria de ser religião popular com atrativos e influência universais. Com a atualização de suas categorias fundamentais, o cristianismo deixaria de ser uma religião folclórica (supersticiosa, esotérica para indivíduos atrasados e incultos) para ser tornar uma religião em harmonia com o que havia de melhor no projeto da modernidade. Havia o receio de que os jovens cristãos, criados nas igrejas tradicionais que não repensavam a fé à luz de conhecimentos novos e modernos, inevitavelmente perderiam a fé no cristianismo quando se voltarem para o mundo moderno e encontrariam os novos conhecimentos.

Historicamente falando, todo movimento teológico é marcado por extremos. Não foi diferente com o liberalismo teológico. Alguns rejeitaram completamente o aspecto sobrenatural e os dogmas clássicos, outros, porém, buscaram construir uma teologia cristã nova que fosse compatível com o que havia de melhor na modernidade, na filosofia, na ciência e na erudição bíblica.

A teologia católica, resistente ao espírito da modernidade, não se dispôs ao diálogo com o pensamento racionalista. Mais centralizada e hierárquica, a teologia católica se satisfez com movimentos internos de resguardar o fiel das ondas do ceticismo moderno e na elaboração de uma teologia predominantemente apologética. Já no âmbito da teologia protestante, a relação entre a teologia cristã e a modernidade não foi de oposição. O protestantismo, menos hierárquico e mais aberto ao diálogo, encontrou no espírito da modernidade um importante interlocutor para a contextualização da fé cristã.

O liberalismo era a expressão filosófica da autoconsciência da burguesia. O confronto do liberalismo com a teologia protestante originou a liberale Theologie, com influências do pensamento filosófico de Kant e Hegel. O termo Theologia Liberalis foi usado pela primeira vez por Johann Salomo Semler (1725-1791) para dizer “livre método de investigação histórico-crítico das fontes da fé e teologia, sem vínculos com a tradição dogmática”.

A Teologia Liberal não é uma escola de definições precisas. Os membros mais expressivos desta escola foram Friedrich Schleiermacher (1768-1834), Albrecht Ritchl (1822-1889), Julius Welhausen (1844-1918), Adolf Jülicher (1857-1938), Adolf von Harnack (1831-1930) e Ernst Tröltsch (1865-1923) e tinham uma metodologia teológica comum: 1. Uso do método histórico-crítico; 2. Relativização da tradição dogmática da Igreja e, 3. Leitura predominantemente ética do Segundo Testamento. As motivações também eram comuns: 1. Necessidade de reconstruir o pensamento tradicional cristão à luz da cultura, filosofia e ciências modernas e, 2. Descobrir a verdadeira essência do cristianismo, destituída dos dogmas tradicionais que não eram mais relevantes, nem possíveis de serem cridos à luz do pensamento moderno.

A Teologia Liberal não pode ser tratada somente como uma teologia que moralizou o dogma. Não é justo! Muitos dos seus idealizadores eram homens piedosos, pastores de comunidades que buscavam dar razão à fé cristã numa sociedade impactada pelos avanços da modernidade. Toda teologia tem limites. Não se espera que a tudo abarque. Não é diferente com a Teologia Liberal. São muitas as suas contribuições para a teologia cristã. Elencarei algumas:

  1. Educação ética – A Teologia Liberal contribuiu para a formação do cidadão numa perspectiva da ética cristã. Deu ao cidadão elementos éticos e morais capazes de proporcionar um melhor convívio com uma sociedade plural;
  2. Ativismo social – O liberalismo teológico foi responsável pelo engajamento social das igrejas cristãs. Foi responsável por mostrar o tamanho da dimensão da missão de Deus no mundo por meio da Igreja. Alertou às igrejas para o chamado missionário e compromisso social;
  3. Hermenêutica crítica – O impacto da hermenêutica filosófica sobre a hermenêutica bíblica foi enorme. A Teologia Liberal deu um passo importante para a leitura bíblica crítica e histórica. Ela reuniu ferramentas de análise crítica fundamentais para uma apropriação efetiva do texto bíblico pelo leitor;
  4. Diálogo interdisciplinar – A postura dialogal do liberalismo teológico tirou a teologia cristã do gueto religioso, privado, e a colocou no espaço público. O diálogo interdisciplinar obrigou a teologia a repensar o seu significa e a sua tarefa dando-lhe legitimidade no âmbito acadêmico.

Essas são algumas das contribuições proporcionadas pela Teologia Liberal. O interessante disso tudo é que alguns movimentos de resistência ao liberalismo teológico não só ajudaram a corrigir os seus excessos como contribuíram para novas perspectivas teológicas. Aí, já é assunto para outra reflexão.

Carlos Cunha

4 Comentários

Arquivado em Reflexão teológica

4 Respostas para “Teologia Liberal: quebrando paradigmas

  1. waner

    Parabéns pelo seu blog, cara. As pessoas têm um preconceito a respeito da teologia liberal. Sou estudante de teologia e observo muito isso. Muito obrigado pela reflexão.

  2. Waldir

    Ótimo texto. Gostei muito de conhecer seu blog.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s