Teologia: assunto do coração e da cabeça

Espiritualidade e teologia estão relacionadas. Isto é, as tentativas de verbalizar o Mistério não podem ser separadas da fé e vivência espiritual. Todo o esforço de falar sobre o nosso entendimento de Deus (teologia) somado aos esforços para viver à luz desse entendimento (espiritualidade) resultam numa teologia cristã genuína. Uma teologia viva está sempre fundamentada na vivência espiritual. A teologia é para ser vivida tanto quanto estudada e explicada.

Para Agostinho (De Trinitate, Livros XII-XIV), Deus é conhecido, não por scientia, mas por sapientia.  Para o bispo de Hipona, Deus é experimentado não pela objetivação e análise, mas por um conhecimento contemplativo de amor e desejo. A teologia patrística não era uma disciplina abstrata separada da teoria e prática pastoral. Os Pais da Igreja se esforçavam por manter a união entre o conhecimento teológico reflexivo e a vida de oração e contemplação.

O segredo para uma boa teologia é a oração. Isso equivale a dizer que uma teologia lúcida e rica se produz num contexto de relacionamento com o Divino, e não simples devoções e técnicas de meditação. Alguém já sugeriu que “toda verdadeira oração é teologia verdadeira, e vice-versa. Pois a verdadeira oração e a verdadeira teologia são ao mesmo tempo assuntos do coração e da cabeça”. O lugar ideal do teólogo é de joelhos – teologia genuflexa.

A teologia é essencialmente performativa além de informativa; a sua preocupação primeira é com a ação, depois, com as ideias. Nesse sentido “ser um teólogo” equivale dizer alguém envolvido profundamente com a realidade sobre a qual reflete. “Teólogo” é um sujeito de fé que por meio da análise especializada e informação demonstra a racionalidade da sua “práxis”.

O resgate da relação entre espiritualidade e teologia é desafiador para a teologia acadêmica contemporânea. Somos desafiados a reconstruir relações fecundas entre as atividades acadêmicas de pesquisa e os ensinos e aplicações práticas da oração, pregação, cuidado pastoral e evangelização. A “teologia leiga” que brota das comunidades da fé interpela a teologia acadêmica a repensar as suas raízes e seus frutos.

 

Carlos Cunha, setembro de 2012.

2 Comentários

Arquivado em Reflexão teológica

2 Respostas para “Teologia: assunto do coração e da cabeça

  1. ÓTIMO … LEGAL… SHOW DE BOL !

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s