Venha o teu Reino

O batismo de Jesus foi um momento decisivo no seu ministério como arauto do Reino de Deus. Ao emergir das águas do Jordão, Jesus se lança exclusivamente à tarefa de caráter profético que surpreende os seus famimagesCA44IYNMiliares e amigos.

Ao desvincular-se da família e dos seus afazeres diários, Jesus se entrega ao povo como ato de renúncia e de justiça. Ele cumpre cabalmente o rito proposto pelo Batista e junto a ele assume, pelo batismo, o sinal de compromisso de uma mudança radical. Jesus concretiza o seu chamado e atende a voz de Deus para uma nova missão.

Um novo horizonte se abre para Jesus. Com o fim do período de preparação no deserto, irrompe-se um novo tempo para a concretização da salvação de Deus. “É chegado o Reino de Deus!” (Mc 1,15). Jesus supera as expectativas apontadas por João: Não mais se deve esperar o reino e o juízo, é preciso acolhê-lo, “entrar” no Reino de Deus e aceitar o seu perdão salvador.

O novo discurso inaugurado por Jesus abarca o perdão a todos. Batizados e não batizados são acolhidos por um Deus salvador. O convite à salvação é oferecido indistintamente aos seres humanos e cabe a cada um, individualmente, aceitar ou não. Deus não força ninguém; apenas convida. Seu convite pode ser acolhido ou rejeitado. Cada um decide seu destino. Uns ouvem o convite, acolhem o Reino de Deus, entram em sua dinâmica e se deixam transformar; outros não ouvem a boa notícia, rejeitam o Reino, não entram na dinâmica de Deus e se fecham à salvação.

O convite à salvação é feito pelo próprio Cristo. Ele percorre cidades e povoados pregando o Evangelho do Reino (Mt 9,35-38) e convidando todos a participarem deste novo momento. Lugares que até então eram tidos como redutos de marginalizados transformam-se agora no novo cenário para acolher a salvação.

Nas aldeias e povoados a presença de Jesus é cada vez mais marcante. A vida itinerante de Jesus entre os marginalizados é símbolo vivo de sua liberdade e de sua fé no governo de Deus. Ele abandonou a segurança do sistema para “entrar” confiantemente no Reino do Pai. É ali, no impacto das boas novas na vida dos necessitados, que o Reino de Deus vai sendo gestado.

A vida itinerante de Jesus é a grande ilustração do teor da sua pregação. Toda a sua vida remete ao Reino de Deus – seus discursos, sua convicção, sua paixão. O Reino de Deus é a força propulsora do ministério de Jesus e o que dá sentido a sua história. É este Reino que Jesus se empenha em implantar na Galileia, no povo de Israel e em todos os povos de forma definitiva.

Carlos Cunha

Deixe um comentário

Arquivado em Reflexão teológica

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s