Comer, beber e viver

68137_10200133221475716_1185462053_n[1]A alimentação e a comensalidade são elementos fundamentais para a
humanidade. A circunstância de comer compartilhando da mesma comida e da mesma mesa, em companhia de outras pessoas, faz parte do que é constitutivo das relações humanas. Enquanto o alimento é força para o estômago e o sangue, a comensalidade nutre o espírito e reforça a necessidade que todos temos de companhia, escuta e de cuidado.

Há uma diferença abismal entre dar comida e compartilhar comida com alguém. As motivações são distintas. O primeiro ato não requer envolvimento. Dar comida a alguém para que coma onde pode e como pode. Já sentar-se à mesa com alguém significa compartilhar com ele a mesma energia de vida que sustenta a ele e a mim. É o reconhecimento de que fazemos parte de um só corpo.

Jesus fez da refeição em comum elemento capital para o seu ministério. Ele usou da comensalidade para anunciar o Reino, o qual tem seu objetivo último expresso numa grande refeição, o banquete da vida (cf. Mt 22,1-10; Lc 14, 15-24). Curioso o fato de que, segundo os Evangelhos, Jesus aparece relacionado com a refeição em comum 137 vezes (28 – Mt, 22 – Mc, 56 – Lc, 31 – Jo). Dessa forma, a mesa de refeição é lugar de grande expressão catequética na nossa formação espiritual e familiar.

Essa experiência básica e laica, comum a todos, da vida humana é o melhor lugar (topos) da comunicação de Deus. A comensalidade faz emergir a revelação de quem é Deus e o seu propósito para o ser humano. Foi desde aqui, desde o minimamente humano, que Jesus nos revelou quem é Deus e como é Deus. A comida e a comensalidade são experiências determinantes na vida de todo ser humano, por isso Jesus, o revelador de Deus, em suas refeições, nos dá a conhecer as dimensões mais profundas da humanidade de Deus.

Com quem comia Jesus? Jesus compartilhou sua comida preferencialmente com os mais pobres (cf. Mc 6,30-44; Mt 14, 13-21; Lc 9, 10-17; Jo 6, 1-14; Mt 15, 32-38; Mc 8, 1-10). A verdadeira vida cristã consiste em cuidar dos nossos irmãos necessitados. É preciso convidá-los à mesa. A mesa é o lugar onde apresenta melhor o rosto de Deus, porque nela envolve a vida. Compartilhar o pão com quem tem fome é tarefa de todo cristão. Onde falta a comensalidade (aspecto social), falta igualmente a força eucarística (aspecto teológico).

É uma pena que o Natal de hoje esteja tão desprovido de sentido. Para muitos, os que podem evidentemente, participar da ceia natalina significa se deliciar com os pratos próprios dessa época. Nada contra. Mas a ceia é mais do que isso. A ceia de Natal é símbolo da comensalidade proposta por Jesus. Estar à mesa com familiares e amigos na refeição de Natal é um convite a uma vida de renúncia e engajamento.

Carlos Cunha

2 Comentários

Arquivado em Reflexão teológica

2 Respostas para “Comer, beber e viver

  1. sue

    Perfeito ..tocou na pontinha do iceberg;como diria meus pais.
    Um confronto entre o que a mídia oferece todos os anos a sociedade e o que Jesus nos ensinou …perfeito….

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s